17 de agosto de 2011

México- Prefeitura dá desconto em imposto para quem entregar cão para sacrifício



O governo de uma cidade no norte do México está causando polêmica depois de oferecer uma isenção de impostos de US$ 17 (cerca de R$ 27) por cada cachorro de rua entregue para ser sacrificado.
As autoridades da cidade de San Luis Río Colorado, no Estado de Sonora, afirmam que o sacrifício dos cães é a melhor forma de evitar doenças.
A cidade, que fica perto da fronteira com os Estados Unidos, tem uma população de 70 mil cães de rua, quase um para cada dois habitantes.
Em poucas horas, o tema se transformou em um dos mais comentados nas redes sociais no México.
Organizações defensoras dos direitos dos animais, artistas e intelectuais exigiram o fim do que chamaram de "matança de cães". Outros pediram uma reforma nas leis mexicanas, que aplicam apenas multas para os acusados de torturar animais.
O prefeito da cidade, Manuel Baldenebro, afirma que toda a polêmica é uma manobra política de seus adversários.
"Sinceramente, não sou um matador de cães. Sou muito criticado por uma situação política, não existe matança. Me criticam porque estou sacrificando cães em minha estratégia que visa evitar doenças e epidemias", disse o prefeito à BBC.
O prefeito reconhece que, em dois anos de governo, mais de 17 mil cachorros de rua foram sacrificados, a maioria deles pelas brigadas municipais. Até o momento, apenas 450 foram entregues em troca da isenção de impostos.
Sem proteção
As organizações de proteção dos direitos dos animais afirmam que o caso de San Luis Río Colorado é um reflexo da falta de políticas públicas para evitar os maus tratos a animais.
Segundo Antemio Maya, fundador da organização Proteção ao Cachorro de Rua, dos 32 Estados do México, oito não têm leis para evitar o problema e o resto apenas prevê multas para os acusados de maus tratos a animais.
"A maioria tem uma lei muito básica, mas, pelo menos, tem alguma coisa", disse Maya à BBC.
De acordo com organizações de defesa existem mais de 16 milhões de cães no México e, entre estes, cerca de 10 milhões são de rua.
Origem 
Manuel Baldenebro, prefeito de San Luis Río Colorado, conta que o problema começou há alguns anos, quando uma família pobre pediu sua ajuda para pagar a dívida com a fornecedora de água.
A família tinha vários cães que estavam doentes. Para ajudá-los, Baldenebro ofereceu um desconto para a dívida da família para cada animal que entregassem para as autoridades.
"Era para oferecê-los para doação", disse Baldenebro. "Mas, se ninguém quisesse os cães, eles seriam sacrificados".
Isto se transformou em uma regra ainda válida, mas, há alguns dias, um funcionário público enviou mensagens para as redes sociais, divulgando a estratégia.
Em menos de um dia, centenas de usuários do Twitter e Facebook criticaram a medida e alguns exigiram a renúncia do prefeito.
O prefeito afirma que é preciso sacrificar os cães da cidade pois, em menos de um ano, ocorreram 2.188 ataques de cachorros, a maioria contra crianças e idosos. Fora o problema das fezes dos cães de rua.
Além disso, também foram relatadas contaminação por sarna e de uma doença que causa paralisia no rosto dos doentes.
No entanto, estes argumentos não convenceram os ativistas.
"É uma aberração, totalmente reprovada", disse Antemo Maya. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Fonte: Estadão

Um comentário:

cclb disse...

nossa que absurdo!